Diferenças, como superá-las…

unnamedA liderança implica em muitas relações com as mais diferentes pessoas. São relações que precisam se estabelecer sem desprezar as origens e experiências diversas.
Ao conversar com alguém é preciso buscar as palavras certas e, mais ainda, estar atento para perceber se a interpretação dada pelo receptor é a mesma que desejamos dar.
O que falo atinge o receptor de que modo? Remete a lembranças agradáveis ou a situações embaraçosas? Toca em alguma ferida emocional? Algo não resolvido?
Concordo com você que conversar assim dá muito trabalho! Afinal, vou ter agora que ficar medindo tudo que falo e ainda ter que “adivinhar” os problemas dos outros?
Pois é, quem disse a você que ser líder é fácil? Na verdade, preocupar-se com os outros não é tarefa só dos líderes, mas líderes que não se preocupam com os outros são um grande perigo. Acabam por tornar-se autoritários, auto-suficientes, prepotentes.
Li esta semana algumas dicas simples que podem diminuir significativamente os problemas de comunicação e, assim, praticamente eliminar os conflitos nos relacionamentos interpessoais.
Charles W. Christian, ministro da Canby Chapel, Igreja do Nazareno, percebeu que boa parte dos conflitos que minavam sua autoridade acontecia pela falta de sintonia entre a percepção dos liderados e sua intenção. Sendo assim, adotou os passos seguintes e estabeleceu um pacto com os líderes de que seguiriam as regras abaixo:
1. Se você tem um problema comigo, venha até mim (em particular)
2. Se eu tenho um problema como você, eu irei até você (em particular)
3. Se alguém tem um problema comigo e vai até você, mande-o para mim (eu farei o mesmo em relação a você)
4. Se alguém deixar claro que não virá até mim, diga, ‘Vamos até ele juntos. Estou certo de que ele nos receberá para tratar do assunto.’ (eu farei o mesmo em relação a você)
5. Tenha cuidado ao interpretar para os outros o que eu digo – eu mesmo prefiro fazer isto! (Ou seja, em assuntos que não sejam muito claros, não se sinta obrigado a justificar meus sentimentos ou pensamentos. É muito fácil interpretar mal as intenções!)
6. Eu serei cuidadoso ao interpretar você.
7. Se é confidencial, não conte a ninguém (se aplica especialmente aos que participam de reuniões de liderança)
8. Quando estiver em dúvida, fale! (perguntas “bobas” são as que não são feitas! Somos uma família, nos preocupamos uns pelos outros, portanto, se você tem uma preocupação ore e esclareça.
O ministro Charles diz que se não serviu para eliminar completamente os problemas, a postura adotada gerou uma base sólida de amor e confiança para os relacionamentos, abrindo espaço para uma comunicação melhor.
homem irritadoEsta semana vivenciei uma situação assim em nossa organização. Estava para acontecer um evento novo, diferente, algo que nunca tinha sido feito. Uma líder não estava certa se apoiava ou não, se era correto ou não. Mesmo sem termos adotado formalmente os passos citados, a líder agiu em conformidade com eles: passou-me um e-mail colocando suas dúvidas, seus anseios, pedindo uma opinião minha sobre o assunto. Foi ótimo, pois pude explicar minha posição e trocar idéias sobre a matéria. O melhor de tudo é que a transparência elimina o ‘disse-me-disse” e as interpretações erradas são afastadas.
É verdade que nem sempre concordaremos em tudo, mas todos saberão que há honestidade e sinceridade nas razões pessoais para preferir uma solução à outra.

Anúncios
Esse post foi publicado em comunicação, conflito, Liderança, transparência. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s