Pais, assumam seu papel!

Está no ar um comercial de um grande banco que aglutina três mensagens equivocadas sobre família.
Um menino fica gritando e repetindo dezenas de vezes: “pai, quero uma bicicleta”. A situação vai ficando irritante e, no final, o pai responde, também gritando: “tá bom, pára de falar!”. Vem, então, o narrador e oferece um endividamento fácil – quando você tiver que comprar algo que não pode por insistência de alguém, nós lhe damos uma opção rápida de endividamento.
Vejamos os equívocos.
1. filhos:
a) gritando até serem ouvidos
b) insistindo até serem atendidos
De vez em quando é possível ver crianças dominando completamente os pais, causando-lhes vergonha em público. Vão gritando e insistindo até que os pais cedem à pressão sem raciocinar e sem escolher a melhor opção. Fazem o que as crianças pedem para se ver livres da pressão. Pior, há ocasiões em que disseram que não podiam atender várias vezes mas, ante a insistência, voltaram atrás. A mensagem clara é: insista e os pais vão ter que ceder, você tem o poder para controlar sua família para atender a todos os seus desejos.
Infelizmente essa mensagem tem sido divulgada e aceita por muitas famílias. Os pais estão deixando de decidir com base em critérios justos e passando a decidir de qualquer para atender as demandas dos filhos insistentes. Estão abrindo mão do dever de ensinar, de mostrar que as escolhas são importantes e que nem sempre é possível ter tudo que se deseja.
2. pais:
a)respondem sem paciência
b) decidem sem pensar
A propaganda sugere que a melhor saída para lidar com as “vontades” das crianças é aceitar logo e pronto. A solução é atender, sem levar em conta as limitações, as dificuldades, outras prioridades ou planos da família. A criança quer, insiste? Você precisa atender logo.
Já vi (e você também, provavelmente) cenas iguais à da propaganda. O filho pede e o pai (ou mãe) nega. Ele pede de novo. Nova negativa. Vai insistindo, aumentando o tom de voz, puxando a roupa dos pais, chamando a atenção, gritando… O pai (ou mãe) “não agüenta mais” e responde sem pensar: “tá bom, pára de ficar gritando no meu ouvido!”
Pronto, o padrão perverso está estabelecido e se repetirá muitas vezes.
3. não tem dinheiro, faça uma dívida:
Para completar o desastre vem a sugestão que atende aos interesses do banco – faça uma dívida! Claro, o enfoque é outro. Obtenha um financiamento fácil e rápido e fique livre das pressões e exigências do seu filho (esposa, marido etc.).
Na prática, o apelo fácil a financiamentos leva muitos à situação de insolvência. São tantas dívidas que não há mais como pagar!

Uma família equilibrada não vem por acaso. Os cônjuges precisam tomar decisões e estabelecer prioridades corretas para que o equilíbrio espiritual, emocional e financeiro seja uma realidade.
Os pais não podem abrir mão da responsabilidade de gerenciar bem os recursos que têm disponíveis, deixando-se levar por decisões impensadas, precipitadas e sem nenhum planejamento.
A construção de uma família sadia se dá com decisões que levam em consideração o longo prazo, não se deixando seduzir pela mentalidade imediatista que norteia a sociedade moderna.
Um caminho sensato é orientar os filhos em conversas planejadas, passando-lhes valores e critérios corretos de avaliação, discutir juntos as opções e decidir com calma e paciência.
Tudo sem descurar do principal: viver dentro da realidade financeira de cada um.
Basta o mau exemplo do governo que gasta muito mais do tem.

Anúncios
Esse post foi publicado em Familia e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Pais, assumam seu papel!

  1. Alair Pinto disse:

    Excelente texto.
    Que Deus o abençoe, Lúcio. Você tem uma família linda.
    Seus filhos são referência para adolescentes e jovens em nosso país.

  2. LM disse:

    Obrigado, Alair…

  3. Sil disse:

    Tem como publicar isso num letreiro beeeem grande ?!?

  4. Paulo Garcia disse:

    Muito bom. Lucio. Não tinha lido ainda.
    Pura verdade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s