Ah, como isto me irrita!!

Lúcio Cesar Menezes

Foto LM

Não sei se com você acontece a mesma coisa, mas há certos hábitos no relacionamento que me deixam
nervoso.Como não sou melhor do que ninguém, acredito que você também tenha pontos vulneráveis.
Comecei a pensar no assunto e lembrei de algumas situações interessantes para ilustrar as manias
que, às vezes, temos. Antes de mais nada, é bom lembrar que nem sempre o cônjuge faz determinada  coisa ou fala de certo modo para irritar ou perturbar.
Muitas vezes nem sabe dos efeitos “desastrosos” que está causando. Vejamos alguns exemplos:

1. Ficar grudado(a) ao telefone: não é bom chegar ou sair enquanto a pessoa está ao telefone. Dá uma
sensação de preterição, acho que até um pouco de ciúme.
2. Deixar o carro ficar sujo: que gosta de tudo limpo e organizado tem que ter muita paciência com o
parceiro mais desligado.
3. (Im)pontualidade: chegar cedo ou atrasado. Uns se irritam por perder a hora, pois não consideram elegante chegar atrasado aos compromissos. Outros, pela pressão para chegar à hora, já que “ninguém” chega no horário mesmo!
4. Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje: é um hábito mais comum entre os homens. Pode,
além da irritação, causar prejuízos financeiros.
Talvez você possa acrescentar muitos outros à lista. Não importa a quantidade, mas sim a influência que
tais hábitos podem ter na qualidade do relacionamento.
Mesmo sendo pequenos detalhes, podem minar a relação contribuindo para a instalação de sentimentos de desânimo, frustração, ressentimento, entre outros.
O que fazer, então? Boa parte dos problemas causados está na ausência de uma boa comunicação.
Há casos em que o parceiro não sabe que o que fala ou o que faz causa irritação. A solução, então,
inclui os seguintes passos:
1. Abrir o coração em uma conversa franca com o parceiro

2. Preparar-se para que a conversa seja proveitosa:
a) Ambiente tranqüilo
b) Emocionalmente controlados
c) Motivados a melhorar

3. Expor ao outro o incômodo causado pela situação e pedir cooperação para superar o problema

4. Estar preparado(a) e disposto (a) para ouvir as explicações do cônjuge

5. Fechar um acordo que seja bom para os dois

6. Estar pronto a permitir o mesmo processo para que o parceiro possa expressar suas necessidades

O acordo estabelecido deverá ser acompanhado e reavaliado com regularidade. Afinal, é comum esquecermos dos compromissos com o passar do tempo e retomar antigos hábitos.
Muitos problemas que atingem a relação poderão ser afastados com os passos acima.
Boa vontade e paciência são temperos valiosos para uma vida de qualidade.

Anúncios
Esse post foi publicado em Familia e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s